Agora todo mundo gosta da Frida… Que bom!

Há alguns dias eu ouvi alguém dizendo: “Eu gosto da Frida, só que agora todo mundo gosta. Virou meio moda!”.

Pensei, repensei após e cheguei a uma conclusão: Que bom! Que bom saber que uma figura como Frida tem se tornado conhecida de todos.

capa-frida

Não é segredo para ninguém, que fiz este blog pensando em trazer, de forma fácil, ideias, inspirações, bem como cultura e conhecimento (vide nossa página Sobre). Nada mais pertinente do que estar feliz com a difusão da arte de alguém tão importante, mesmo que seja por “modinha”, como está na moda falar.

Frida Kahlo teve uma vida bastante sofrida, enfrentando uma série de problemas de saúde que sempre a acompanharam, além de sequelas causadas por um acidente gravíssimo que sofreu aos 18 anos, isso tudo sem falar do seu famoso casamento conturbado com o também artista Diego Rivera, no qual ambos mantinham relações extraconjugais e brigavam muito. A artista mexicana era bissexual e manteve relações com mulheres por muito tempo, inclusive durante o casamento.

Foi uma artista peculiar e cheia de contradições. Portadora de uma mente criativa, começou a pintar já tarde, mergulhando de cabeça no universo das artes. Usou sua imagem desprovida de vaidades convencionais, para mostrar ao mundo que era uma mulher com a mente livre, vide o post Frida Kahlo vestida como um homem em fotos raras de família como um exemplo.

Em suas pinturas, procurou trabalhar a identidade nacional mexicana, adotando temas do folclore e da arte popular do México com bastante frequência. Gostava de pintar autorretratos, nunca escondendo seus traços pesados, suas sobrancelhas cheias, sua maquiagem extravagante e suas roupas berrantes, que muitas vezes eram confeccionadas por ela mesma.

Em pleno início de século XX, Frida meteu a cara no sol, contrariando os conceitos conservadores em todos os aspectos da sua vida, tendo a pintura como uma das suas ferramentas para questionar. Frida foi feminista em uma época onde não havia assim tanta liberdade.

frida_400

Se pararmos para pensar, artistas consagrados como Salvador Dali e Pablo Picasso também viraram “modinha”. Trabalharam para grandes marcas, conseguiram ganhar muito dinheiro com seu trabalho ainda em vida e nem por isso deixaram de ser geniais. Frida é uma mulher, e entrou arrombando portas de museus nos últimos anos, espalhando seu conceito de busca pela liberdade feminina. Tá bom ou quer mais?

Duas exposições passaram pelo Brasil: Todos Podem Ser Frida, em São Paulo, e Frida Kahlo – as suas fotografias, em Curitiba, a qual eu tive o prazer de ir. Eventos esses que foram responsáveis por boa parte dessa onda Frida Kahlo no Brasil nos últimos anos.

Agora todo mundo gosta da Frida… Que bom!

Share

Designer gráfico autônomo e fundador do INSPI - Natural de Curitiba, PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.