5 coisas para saber antes de começar a faculdade de Design Gráfico

Muitas vezes, na hora de escolher um curso para estudar na faculdade, temos uma ideia um pouco superficial sobre ele, bem como sobre a profissão.

Todos os semestres, há um grande número de alunos desistentes em todos os cursos, por conta da falta de identificação com algumas matérias e formas de didática aplicadas a cada curso, por isso, separei algumas coisas que acho que você deveria saber, caso esteja pretendendo estudar Design Gráfico. Se liga aí:

laptop-criacao

1. Design Gráfico não é só computador

Quando entrei na faculdade – já há alguns anos – eu pensava que trabalhar com design gráfico era mexer com softwares de criação gráfica o dia todo. Fui surpreendido com um primeiro semestre repleto de desenhos artísticos, desenhos técnicos, aulas de xilogravura, serigrafia e todos os métodos gráficos clássicos, além, é claro, de muita teoria. Foi estranho, mas foi uma experiência ótima e necessária.

Muita gente opta por trabalhar com ilustração, embalagem e outros tipos de criação que demandam uma boa parcela de trabalho manual.

2. Saber desenhar não é obrigatório

O design gráfico é relacionado muitas vezes com a habilidade de ilustrar. Saber desenhar é ótimo, vai te ajudar muito em algumas matérias do curso, porém, de nada adianta saber apenas ilustrar, sem buscar desenvolver outros processos de conhecimento na área. Arrisco dizer que, em um bom curso, com um bom professor de desenho, você irá aprender o pouco que precisa, caso queira seguir outro caminho que não o da ilustração.

Você poderá atuar em diversos segmentos que não demandem essa técnica. Falaremos mais sobre isso no item 5.

desenho

3. Você precisa gostar de história

Quem não conhece o passado, não pode entender o futuro. Uma das coisas mais legais do design é que ele traz consigo uma carga história fenomenal. A história da arte é um estudo essencial para quem quer ser designer gráfico, independente da área de atuação.

Se você não gosta de história e, mesmo assim quer estudar design gráfico, vai ter que “engolir” pelo menos um pouco de conhecimento nessa área.

4. Ter algum conhecimento teórico ou prático é um diferencial

Longe de ser uma obrigação, mas se você já tem alguma experiência com a área (já estuda desenho, trabalhou em gráficas, conhece os processos de impressão, etc…) é inegável que você vai ter mais facilidade para compreender o conteúdo abordado no curso, bem como aplicar isso em seu dia a dia profissional, mas vale lembrar que isso não é uma regra. Cada curso tem seu formato e suas abordagens gerais.

cmyk

5. Existem diversas áreas para atuar no Design Gráfico

Trabalhar com design gráfico não significa trabalhar somente em agências e estúdios. Quando você entra na faculdade, descobre muitas outras formas de aplicar seu conhecimento. As áreas mais comuns são a criação publicitária, diagramação, design de superfícies e etc…

Se você tem um espírito criativo e empreendedor, poderá usar tudo que aprende na faculdade para oferecer produtos e serviços de qualidade, independente da área.


Vale dizer que essa é a minha visão. Nada aqui é verdade absoluta, mas sim, ideias que acredito que deveriam ser compartilhadas com quem está pensando em entrar para essa área.

► Dúvidas ou sugestões? Comenta aí ou envie por e-mail: contato@inspi.com.br

Share