Internet das Coisas (IoT) tornou-se a tecnologia líder da transformação digital e é prioridade número um para 92% das empresas, de acordo com os resultados da pesquisa global publicada pela Inmarsat. O estudo do Programa de Pesquisas da Inmarsat focado na aplicação empresarial da Internet das Coisas revelou que a aprendizagem de máquina (38%), a robótica (35%) e a impressão 3D (31%) também são requisitos essenciais para a entrega efetiva da transformação digital para as empresas.

Realizado pela Vanson Bourne de forma independente em nome da Inmarsat, o relatório “O Futuro da IoT nas Empresas – 2017” entrevistou 500 profissionais de todos os setores de agro tecnologia, produção de energia, transporte e mineração, todos de organizações com mais de 1.000 funcionários.

Os principais resultados revelam que 97% dos entrevistados estão experimentando, ou esperam experimentar significativas vantagens da implantação de tecnologias IoT. A melhoria da capacidade de entrega de serviços (47%), melhor saúde e segurança em toda a organização (46%) e maior produtividade da força de trabalho (45%) foram identificadas como as três principais vantagens a serem obtidas com a implantação desse tipo de solução.

Porém, a pesquisa também mostra preocupações com segurança, falta de habilidades na implantação e conectividade como desafios importantes que precisam ser abordados para maximizar o potencial da IoT. De todos os entrevistados, 47% acredita que suas organizações precisarão repensar a abordagem à segurança de dados e realizar grandes investimentos para atender aos requisitos de segurança da IoT. Cerca de 45% citam a falta de habilidades como um desafio específico para sua organização na implantação da IoT, enquanto 29% concordam com a afirmação de que as questões de conectividade ameaçam afetar suas implantações de IoT antes mesmo de começarem.

De qualquer maneira, esse fenômeno tecnológico tem tomado espaço em todo o mundo e vai se tornar cada dia mais presente em nossas vidas. Desenvolver novas tecnologias é algo arriscado e complexo, porém deve ser feito com bastante cuidado, visando oferecer uma melhor qualidade de vida ao usuário. Aos profissionais da tecnologia criativa, vale a pena estar antenado.

A pesquisa “O futuro da IoT nas Empresas – 2017” é acessível como um documento de inteligência e pode ser baixada (em inglês) aqui.