Fotógrafo transforma o corpo humano em contorções surreais

Você gosta de imagens que causam desconforto e fazem seu cérebro questionar como ela foi produzida? Se sim, você precisa conhecer o trabalho do fotógrafo taiwanês Yung Cheng Lin, também conhecido como 3cm. Ele usa o corpo humano e principalmente o corpo feminino em construções geométricas e narrativas únicas para gerar desconforto no espectador. Com elementos muito simples como linhas, espelhos, flores, luz e sombra, ele consegue criar efeitos incríveis nas fotos. Continue a leitura e saiba mais.

O artista classifica seu trabalho como “surrealismo na realidade”, pois utiliza dos cenários do cotidiano para criar suas fotos. O surrealismo ficou conhecido por não seguir nenhuma regra estética e moral, sendo um movimento que expressava livremente os pensamentos humanos, característica muito presente nas fotografias de Yung.

É possível notar que muitas linhas são inseridas nas obras, principalmente a linha vermelha, que segundo o artista, faz referência a religião chinesa, que diz que todos tem um fio vermelho ligado ao corpo, e ele usa essa representação no corpo da modelo para criar dor e empatia em quem olha as suas fotos.

Yung revelou em entrevista ao The Creators Project que a ideia principal do seu trabalho é discutir a questão da moralidade no que se refere à mulher, segundo o artista a definição que a sociedade atual deu à mulher é muito limitada, preconceituosa, e a mídia exerce grande influência sobre isso.

“Quem não segue as últimas tendências é considerado fora de moda. Esse fenômeno é muito claro entre mulheres que precisam se depilar ou perder peso para se manter em forma.” É muito claro a crítica que o fotógrafo faz a sociedade e as tendências impostas pela mídia.

Confira abaixo algumas fotos surreais feitas pelo artista taiwanês.

Fontes: Vice, Sopa Alternativa

Share

Maria Tosin é graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e especialista em Mídias Digitais pela Universidade Positivo. É criadora do blog pippoca.com, atuou como pesquisadora na área de artes e mídias digitais, também atuou em agências de publicidade. É uma entusiasta da criatividade e de tudo que envolve o processo criativo.