5 motivos para não se apaixonar pelo seu trabalho

5 motivos para não se apaixonar pelo seu trabalho

Quando amamos nosso trabalho temos falsas crenças que podem nos levar ao esgotamento e a um forte impacto em nossa saúde mental. A frase “trabalhe com o que ama e nunca trabalhará um dia sequer na sua vida” esconde armadilhas que não somos capazes de identificar. Confira a seguir alguns motivos para você não se apaixonar pelo seu trabalho.

1 – O esgotamento será seu melhor amigo

Quando igualamos o trabalho que amamos a “não trabalhar de verdade”, isso propaga a crença de que, se o amamos tanto, deveríamos fazer mais, o tempo todo, na verdade. Dessa forma você começa a pensar que não precisa de um dia de folga e de que o trabalho é sinônimo de felicidade, porém, esse tipo de mentalidade leva ao esgotamento e as consequências podem ser terríveis. O esgotamento motivado pelo propósito continuará a ser uma preocupação crescente no mundo do trabalho graças a indústria empenhada em proliferar a mentalidade de “trabalhe enquanto eles dormem”.

2 – Você será muito mais estressado

Um estudo publicado no Journal Personality identificou que há dois tipos de paixão pelo trabalho, um deles é a paixão harmoniosa e o outro é a paixão obsessiva. As pessoas com paixão harmoniosa pelo trabalho escolhem sua carreira porque é algo que interessa a elas, e desfrutam de um enorme prazer em como ganham a vida, mas normalmente o trabalho não interfere profundamente em outros elementos importantes de sua vida. Já as pessoas com paixão obsessiva, têm pouco controle sobre seu relacionamento com o trabalho, elas raramente se desligam completamente dele e consideram sua profissão e fatores relacionados como promoções e aumento salarial como centrais em sua vida. A pesquisa também mostrou que os funcionários com paixão obsessiva ou movidos pelo propósito, são mais estressados e pontuam menos em bem-estar, resiliência e autoeficácia.

3 – Você deixará de dar atenção para outras conexões

Créditos: Helena Lopes/Pexels

A pessoa apaixonada pelo trabalho fica tão encantada por ele que não haverá mais espaço para outras conexões. Especialistas reforçam que estando nesse turbilhão de sentimentos pelo trabalho, todas as outras esferas da vida são destruídas, reduzidas, o que resulta em falta de tempo para a família, amigos, cuidados pessoais, o que faz você literalmente viver apenas para o trabalho e esquecer as outras esferas da vida.

4 – Você será explorado com frequência

A frase “vestindo a camisa” pode esconder coisas que você nunca imaginou. Existe uma espécie de exploração dos nossos apaixonamentos que levam a um estado meio patológico. Apaixonada, a pessoa não pensa direito, tudo fica mais intenso, brilhante e interessante, o que deixa espaço para que as empresas abusem dessa paixão e o que vemos é a precarização das relações de trabalho, onde a empresa oferece muito menos do que o colaborador deveria receber.

5 – Você se sentirá constantemente culpado

Quando você ama seu trabalho a experiência do relaxamento é praticamente criminalizado por você, pois internamento você pensa que só vai obter sucesso no trabalho se for uma pessoa produtiva, de destaque, e isso não te dá o direito de relaxar, de assistir a um filme, sem pensar que você deveria estar trabalhando e sendo produtivo. Essa atitude vai te levar até um burnout.

Fique atento!

Trabalhar com o que ama é realmente inspirador, mas lembre-se que ao final do dia você precisa voltar para sua vida pessoal, há outras conexões que também são importantes, fique atento aos sinais de esgotamento ou de abuso por parte das empresas.

Foto de Capa: Monstera/Pexels Fontes: Harvard Business Review, Gama Revista

Graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), especialista em Mídias Digitais pela Universidade Positivo e Mestranda em Administração pela PUCPR. É criadora do blog pippoca.com, atua como pesquisadora, é autônoma e já atuou em agências de publicidade. É uma entusiasta da criatividade e de tudo que envolve o processo criativo.