Viaje pelas colagens divertidas de Cássia Roriz

Viaje pelas colagens divertidas de Cássia Roriz

A colagem voltou a se destacar no mundo das artes e vemos cada vez mais artistas talentosos surgindo. O INSPI te convida a conhecer o trabalho de Cássia Roriz e conferir a entrevista que fizemos com ela. Continue a leitura!

Sobre a artista

Cássia Roriz é de Goiás, se formou em Arquitetura e Urbanismo em 2020, mas desde o início tinha um interesse pelas artes, segundo a artista ela nunca chegou a atuar na área e já saiu da faculdade ilustrando. Cássia é autodidata e comentou com o INSPI que isso está completamente ligado à sua origem, “sou uma pessoa natural do interior, eu nunca tive acesso aos espaços culturais de arte, ou cursos, tudo isso sempre foi um mundo distante pra mim, logo minha única opção foi aprender sozinha com os recursos que eu tinha”.

Início da carreira

A artista conta que durante a faculdade começou a ilustrar e de repente já se via fazendo freelas de ilustração e alguns outros trabalhos de design gráfico, foi aprendendo e aperfeiçoando enquanto fazia. “Meu encontro com a colagem foi onde tudo se transformou, eu vi na colagem uma forma muito autêntica de me expressar artisticamente. A colagem enquanto técnica muito me inspira, ela é irreverente e democrática, todo mundo pode fazer colagem, não existem regras, e existe também um espaço lúdico e isso foi o que me guiou. Fui aos poucos experimentando com cor, textura, fui percebendo que eu gostava tanto do analógico quanto do digital, então o jeito foi misturar as duas coisas”.

Inspirações e processo criativo

Cássia comenta que durante a infância suas referências eram as revistas que tinha em casa, hoje em dia ela se inspira em artistas como Heitor dos Prazeres, Maria Auxiliadora e Djanira da Mota, considerados artistas Naif, que nada mais é que essa arte da espontaneidade, além de serem pessoas autodidatas assim como ela.

Já sobre seu processo criativo Cássia revela: “meu processo tem suas bases na experimentação, e eu gosto de falar sobre isso porque eu sinto que o trabalho experimental amplifica os horizontes da criatividade, eu hoje já testei muitas técnicas, e formas de criar, e a cada projeto existe uma nova descoberta, uma nova forma de fazer as mesmas coisas”, ela completa que sempre gosta de começar a criação com a criação dos elementos analógicos, e posteriormente finaliza tudo no digital.

Mercado de trabalho e parceria com marcas

“Quero deixar meu mundo um pouco mais colorido e divertido, quero que meus personagens brinquem, e meu maior desejo é expandir os limites e compartilhar os acessos”, diz Cássia ao ser perguntada sobre o que quer transmitir por meio do seu trabalho. Ela também contou que fazer parcerias com marcas é um grande presente e de alguma forma valida todo o corre da vida do ilustrador. Ao perguntarmos qual foi o trabalho que ela mais adorou fazer, a artista responde que foi com o IFood, aplicativo de entrega de refeições e mercado, onde ela teve uma enorme liberdade criativa e como resultado teve um trabalho com uma estética bem divertida e autêntica. Confira abaixo o vídeo produzido por ela.

Para finalizar, Cássia deixa um conselho para quem está iniciando no mercado criativo. “Não tenha medo de cometer erros, e sobretudo, seja autêntico. Faça aquilo que só você pode fazer, em tudo que você criar, o grande diferencial é você, ninguém cria exatamente da mesma forma que você.”

Se você gostou de conhecer o trabalho da artista, basta segui-la nas redes sociais ou no Behance. Confira abaixo mais algumas colagens feitas por ela.

Graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), especialista em Mídias Digitais pela Universidade Positivo e Mestranda em Administração pela PUCPR. É criadora do blog pippoca.com, atua como pesquisadora, é autônoma e já atuou em agências de publicidade. É uma entusiasta da criatividade e de tudo que envolve o processo criativo.