Aprenda a criar sem deixar a autossabotagem vencer

Aprenda a criar sem deixar a autossabotagem vencer

Colocar no mundo uma ideia ou um projeto pode parecer assustador, pois nosso autojulgamento e nossa autossabotagem se transformam em monstros que nos impedem de criar algo de forma leve e respeitando nossa saúde mental.

O projeto Tira do Papel, criado pelo designer Tiago Henriques, busca encorajar as pessoas e ensinar a elas como encontrar o equilíbrio entre botar a mão na massa e ter um ritmo saudável de criação que respeite sua rotina e sua saúde mental. Em seu livro, “Erra Uma Vez: uma jornada visual sobre as nossas inseguranças criativas e a busca utópica pela perfeição”, lançado recentemente, o designer traz algumas dicas para deixar a autossabotagem de lado e ter coragem para criar para o mundo. Continue a leitura e saiba quais são essas dicas!

Criar no escuro      

No livro, Tiago traz um conceito curioso, o de criar no escuro, quando você desliga seu julgamento e cria sem medo de errar, pode apagar, rabiscar, experimentar e mudar quantas vezes quiser, pois ninguém do mundo exterior está “olhando”, apenas você. A pressão de criar algo muito refinado desde o início te afasta de começar o projeto e consequentemente te afasta de colocar ele no mundo.

Proteção e sabotagem

Conforme você cria, o julgamento te acompanha, mas quando você entende a razão dele estar ali, tudo fica mais claro. A vontade de silenciá-lo é enorme, mas é preciso escutá-lo para entendê-lo, pois é ele que motiva seu perfeccionismo e sua procrastinação, sua principal função é proteger você dos julgamentos do mundo exterior, resta a você a decisão de ouvi-lo e paralisar ou ouvi-lo e decidir seguir em frente.

O perigo do bom gosto

A busca pela ideia perfeita pode ser perigosa, pois não existe ideia perfeita, existe aquela ideia que fez você sentir algo diferente. O que mais amamos tende a ser inspiração para nossas criações, mas nosso bom gosto tem o efeito colateral de gerar expectativas irreais do que criamos no começo. Criar aquilo que não atende nossas expectativas de qualidade pode nos paralisar e criar algo que não gostamos pode ser bastante desconfortável, por isso, Tiago fala de maneira criativa sobre nossas expectativas e cita que não há um “ministério da perfeição” que vai aprovar o que criamos, também não há um selo da “perfeição universal”, tudo está sujeito à perspectiva.

Lidando com nossos erros

Precisamos lembrar que errar é essencial para nossa aprendizagem, são com nossos erros que evoluímos e criamos trabalhos melhores no futuro. A pergunta que fica é: se aprendemos com nossos erros, por que não somos mais gentis com eles?

Quanto mais você cria, mais erros vai cometer e mais vai aprender, por isso, é tão importante colocar a mão na massa e exercitar suas habilidades.

Para quem ficou curioso para conhecer melhor o Tira do Papel, você pode acompanhar o trabalho do Tiago Henriques no Instagram e no YouTube ou ouvir seu podcast.

Maria Tosin é graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e especialista em Mídias Digitais pela Universidade Positivo. É criadora do blog pippoca.com, atuou como pesquisadora na área de artes e mídias digitais, também atuou em agências de publicidade. É uma entusiasta da criatividade e de tudo que envolve o processo criativo.