Como a música Lo-Fi pode ajudar na sua criatividade

Por conta da pandemia, os profissionais criativos tiveram que enfrentar diversos problemas para encontrar ideias em meio ao caos e presos em suas casas, trabalhando remotamente. Neste período, a maioria dos millennials descobriu um novo estilo musical: o Lo-Fi, que ajudou muitos deles a encontrarem foco e criatividade

A música Lo-Fi é um estilo que começou a se popularizar em 1980, reflete leveza, simplicidade e é na maioria das vezes livre de vocais. O termo vem da expressão em inglês “low fidelity” (baixa fidelidade), referindo-se à qualidade e à complexidade do som. Normalmente essa produção não conta com muito orçamento e acaba sendo desenvolvida em estúdios caseiros, com sons com qualidade limitada, usando gravadores de fita cassete, instrumentos musicais desafinados, além de sons acompanhados de chiados.

Ouvir esse estilo de música melhora o poder de concentração dos ouvintes. Segundo uma pesquisa realizada pela Lancaster University, ouvir músicas que permanecem em um “estado estacionário”, que não há muitas mudanças de tons, funciona como combustível para manter o foco. Os pesquisadores perceberam que pessoas que ouviram músicas conhecidas e desconhecidas com a presença de vocais tiveram a criatividade prejudicada, afetando sua capacidade de resolver problemas.

Produzir música Lo-Fi e outros estilos musicais pode também ajudar você a desenvolver sua criatividade, pois segundo uma pesquisa realizada por psicólogos da Universidade Vanderbilt, em Nashville (EUA), o cérebro de músicos funciona diferente das outras pessoas, eles ativam os dois lados muito mais vezes, quando estão tocando algum instrumento, integrando harmonia e executando uma música. Tal comportamento do cérebro favorece a criatividade e a habilidade de resolver problemas dos artistas. 

O INSPI conversou com Fernando Chueire (Avant-R), artista curitibano que cria Lo-Fi, compartilha suas produções independentes no Spotify e produz músicas pela gravadora Tangerina Music, para saber como elaborar esse tipo de música ajuda a desenvolver sua criatividade. 

“Eu acredito que o Lo-Fi te ensina a ser criativo de uma maneira nova. Ensina que os erros também fazem sentido. E faz você ouvir sons de um jeito diferente. Um garfo e um prato viram parte de uma percussão, duas notas do teclado se tornam a parte principal da música e um áudio de WhatsApp é o único vocal do som.”

Ele também explicou brevemente como produz: “minhas músicas são instrumentais, então para transmitir o começo, meio e fim da narrativa eu gosto de usar recortes de vozes, como entrevistas, áudios recebidos, ligações de telefone, filmes, séries e o que mais eu encontrar!

Lo-Fi usa bastante a técnica de “Sampling”, que vem do outro subgênero do Rap, Hip-Hop. Onde o produtor usa outra música como a base de um novo instrumental, com recortes, mudanças de tom, efeitos e várias outras técnicas.

Tudo isso que falei é o caso de algo aleatório do dia a dia que se torna uma música completa.”

Se você ficou com vontade de ouvir esse estilo musical, aproveite a playlist que criamos para você no Spotify: