Regra das 11 ideias: a melhor maneira de ter boas ideias

A criatividade não é um dom e há diversas maneiras de treinar e desenvolver essa habilidade em você. Dessa vez trazemos a técnica das 11 ideias, citada no livro “E se for diferente? Caminhos alternativos para despertar sua criatividade”, de Gabriel Gomes e Luciano Braga. Vem saber mais!

Com certeza você já percebeu que a primeira ideia sempre é ruim, a segunda também, talvez a quinta seja óbvia, mas não podemos garantir que isso sempre aconteça. A questão é que o ponto de partida são sempre ideias bobas, simples e nada originais, pois o cérebro ainda está pegando “no tranco”, então ele vai fazer associações mais óbvias, conectar pontos de forma mais tradicional, mas na regra das 11 ideias nós obrigamos nosso cérebro a fazer associações cada vez menos comuns, chegando a resultados mais improváveis, e é aí que moram as ideias que quebram padrões.

O que acontece a partir da ideia 11

Das ideias 11 até a 20, você ousa um pouco mais e se permite propor soluções menos tradicionais, simplesmente porque começou a combinar ideias anteriores. Das ideias 21 a 30, há uma grande chance de algo realmente novo aparecer, mas é claro que isso não é uma ciência.

Edward de Bono, escritor maltês e criador do termo “Pensamento Lateral”, diz que as ideias têm função de movimento, cada ideia tem a função de levar para outra ideia. Quando paramos de pensar na 3ª ou na 4ª ideia achando que já temos opções suficientes, estamos negligenciando a possibilidade de encontrar uma combinação mais improvável para o que queremos fazer de um jeito diferente. As primeiras ideias são mais óbvias, a 7ª e a 8ª parecem ser o final da linha e um bloqueio criativo te trava, mas aí você descobre um novo caminho mental e consegue ter mais uma leva de ideias. Sempre tente quebrar a barreira das 11 ideias, depois disso você pode ter ideias realmente interessantes.

A velocidade das ideias 

Lembre-se que a prática leva ao aperfeiçoamento, então se você está no início da sua “vida criativa” pode ser que uma ideia demore uma hora ou uma semana, se você tem prática em ter ideias é porque são anos fazendo essa atividade. Você deve respeitar o seu corpo, controlar sua ansiedade e dar o tempo necessário para que a ideia chegue até você, talvez, tomando banho despretensiosamente lavando seu cabelo ou bebendo uma cerveja aquela ideia surja. Não desista da sua criatividade, ela está aí e sempre esteve, só precisa de tempo para dar as caras.

Ilustração: Sharmelan Murugiah

Share