Brasileiros preferem conteúdos em vídeo nas redes sociais

Brasileiros preferem conteúdos em vídeo nas redes sociais

Em meio ao dinâmico cenário da mídia e do consumo, a obtenção de dados torna-se fundamental para direcionar empresas e profissionais de marketing. Nesse contexto, a Comscore elaborou um levantamento que destaca as principais percepções acerca do comportamento e das preferências dos consumidores no ambiente digital, examinando as transformações que provavelmente terão um impacto significativo no mercado. O destaque vai para o consumo de conteúdos em vídeo, que vem aumentando ano após ano.

De acordo com a análise, a população digital do Brasil é de 132,5 milhões de pessoas, ou seja, aquelas que acessam a internet. Dessas, a maioria tem preferência pela navegação em celulares ou tablets (89,9 milhões), acessando exclusivamente via estes dispositivos. Sobre o perfil demográfico dos usuários digitais brasileiros, economicamente, a maioria faz parte da classe C (57,5%; C1 + C2) – e mais da metade são mulheres (51,1%).

Em maio deste ano, o Brasil atingiu a marca de 863 bilhões de minutos consumidos na internet, sendo a categoria Social a que concentrou o maior volume de tempo dedicado – mais de 348 bilhões de minutos no mês.

Outras categorias também tiveram crescimento expressivo de audiência nos celulares e tablets no último ano. Em Gambling (sites de apostas), o aumento foi de 25%, em Governo, 13% e em Tecnologia, 11%. Já em relação ao consumo em mobile, este é representado em 93% pela utilização de aplicativos em julho deste ano, sendo o WhatsApp, o Instagram e o YouTube os três apps mais utilizados.

Consumo digital de conteúdos em vídeo

Outro destaque está relacionado ao consumo de conteúdos em vídeo, que vem crescendo a cada ano. De julho de 2022 a julho de 2023, o salto foi de 21% no número de visualizações de vídeos na internet entre os brasileiros. Essa tendência também é acompanhada pelo consumo de TV conectada (CTV).

Na América Latina, 41% da população digital é espectadora do formato e cada lar assina, em média, 4,6 serviços de streaming. Entre eles, Netflix, HBO Max, Disney +, Prime Video e Star + são as plataformas pagas preferidas. YouTube, Pluto TV, Facebook Watch, Spotify e Claro Vídeo despontam entre os serviços com publicidade e conteúdo gratuito.

A relação entre os conteúdos de vídeo e os casinos na era digital, está cada vez mais interligada. O conteúdo de vídeo é uma forma dinâmica de mostrar o empolgante mundo dos casinos. Ele transmite a essência da experiência do cassino – a emoção, a tensão, a atmosfera – de forma que imagens estáticas ou textos não conseguem. Para plataformas como a BC.game Brasil, o uso de conteúdo em vídeo é um movimento estratégico, pois mostra o mundo dos jogos online, atraindo potenciais jogadores com gráficos impressionantes e experiências imersivas. Esses vídeos geralmente destacam os jogos mais recentes, fornecem tutoriais e mostram as grandes vitórias, criando assim uma plataforma mais interativa e envolvente para o público.

O que seu tempo de tela e rolo da câmera dizem sobre você?

Redes sociais

O levantamento também indica que o Brasil figura como o segundo país do mundo que mais consome redes sociais em relação ao tempo dedicado a esses canais, tendo somado 132.574 minutos consumidos ao mês, segundo dados de julho de 2023. Youtube, Facebook e Instagram continuam como as plataformas mais acessadas pelos usuários, enquanto Instagram, TikTok e Kwai se destacam como as redes que mais cresceram desde 2020.

Em números absolutos, entre janeiro e agosto de 2023, a Comscore contabilizou 15,3 bilhões de ações no Facebook, Instagram e Twitter de marcas e publishers – índice 18% maior em relação ao período anterior. Além disso, foram somadas 7 milhões de publicações (2% acima da média) feitas em 2022, e 168,4 milhões de compartilhamentos, volume 6% maior comparado ao ano anterior

Em contrapartida, neste período, também foram registradas 15 bilhões de visualizações e 644 milhões de ações de conteúdos em vídeo nestas redes sociais, o que representa um decréscimo de 46% e 59%, respectivamente, em relação a 2022. No Youtube, também foram identificadas quedas: o número de views (23 bilhões) diminuiu em 3% e o de vídeos produzidos (805 mil) caiu 5%. Já o TikTok alcançou a marca de 16 bilhões de visualizações de vídeo em 2023, concentrando um número expressivo.

Para saber mais dados sobre o assunto, confira o levantamento completo aqui.


Foto: GaudiLab/Depositphotos.com